O tempo e a empresa familiar

Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Estamos nos preparando para o futuro de forma inteligente? Nossa empresa continuará crescendo e trazendo recursos financeiros suficientes fazendo as coisas como sempre fizemos?

Talvez a dúvida mais relevante que todos enfrentamos seja não saber quanto tempo ainda temos. Isso tem implicações importantes para uma empresa familiar. E se eu não estiver mais aqui amanhã? Qual o impacto para a família e para os negócios? Estamos nos preparando para o futuro de forma inteligente? Nossa empresa continuará crescendo e trazendo recursos financeiros suficientes fazendo as coisas como sempre fizemos?

O que as empresas familiares podem fazer para mitigar riscos e garantir que estão tomando as medidas adequadas para garantir prosperidade e longevidade?

Planejar o futuro não é tarefa fácil, mas não é uma escolha. É um dever. Encare tudo isso como uma oportunidade de projetar e construir um cenário favorável que desejamos. Invista hoje no que você pretende usufruir amanhã. Não é apenas sobre dinheiro e resultado quando falamos de famílias empresárias, mas principalmente sobre harmonia, legado, união e parceria entre as gerações.

7 Dicas valiosas para empresas familiares lidarem com o tempo

  1. Fortaleça. Invista energia para construir um ambiente familiar baseado em valores verdadeiros. É impossível existir uma família empresária de sucesso quando não há confiança, transparência, empatia, sinceridade e acima de tudo amor. Não basta fazer uma reunião anual com os familiares e achar que resolve. O desafio é o dia a dia, a consistência, as pequenas coisas e atitudes. É assim que construímos laços fortes e como consequência uma empresa familiar forte.

  2. Desapegue. Deixe para trás pesos e sentimentos desnecessários que atrasam nossa jornada. Será que estamos valorizando o que realmente tem valor? Todos nós temos ressentimentos e outras emoções que trazemos na bagagem, e está tudo certo. A pergunta é, o que desejamos fazer com isso? Meu melhor conselho é: tome consciência de tudo isso, tenha compaixão com você mesmo, agradeça as coisas boas e a partir de agora coloque seu foco para frente, pensando em soluções e não em problemas.

  3. Respire. Isso mesmo, respire. A gente nem lembra que inspiramos e expiramos a todo momento. Taí uma coisa que mudou muito minha vida. O mundo pode estar caindo e eu me permito respirar. Permita-se sair da sua bolha, ter um tempo para você, para reflexão, para organizar os pensamentos. Um passinho para trás para poder dar vários certeiros para frente.

  4. Inove. Inovação vai muito além de desenvolver aplicativos ou plataformas de tecnologia. É sobre pessoas. O principal fundamento para que de fato haja inovação, está na construção de uma cultura que favoreça a evolução dos negócios e por que não também da família (famílias precisam evoluir!).

  5. Seja curioso. Um dos segredos para ter uma empresa familiar inovadora está na curiosidade das pessoas e no espaço que elas percebem ter para colocar suas ideias e implementá-las na empresa. Não importa se somos da família ou não, é preciso que todos sejam ouvidos e queiram fazer parte do todo. A curiosidade e a permissão para explorar são a base para uma cultura inovadora e um grande desafio para as empresas familiares que muitas vezes ficam presas em tradições e crenças do passado e tem dificuldade para lidar com mudanças e adaptações.

  6. Seja coerente. Não basta apenas concordar que inovar é importante. Apesar de muitos líderes concordarem que é fundamental, não colocam isso em prática no dia a dia. Existe pouco espaço para explorar, questionar, discordar e inovar. A ideia de que o erro faz parte do processo passa longe das empresas tradicionais, principalmente quando estamos sob pressão de crises e instabilidades. Na maioria das empresas familiares, errar e questionar tem um preço bem alto.

  7. Desenvolva (sua equipe e sua família). Precisamos de pessoas talentosas e competentes ao nosso lado, e não trabalhando para a gente. Ninguém trabalha para você e, portanto, precisamos rever o modelo de comando e controle. Lembra do “Manda quem pode, obedece quem tem juízo”? Pois é, não rola mais. Ainda bem! Dar autonomia e criar aproximação constante por meio de diálogos abertos entre líderes e suas equipes, entre fundadores e sucessões, entre primos, irmãos, fazem parte deste caminho para aumentar o protagonismo da empresa familiar e conectar pessoas boas ao negócio. Não podemos mais pensar em reter talentos (ninguém retém ninguém!), mas sim em como podemos engajar as pessoas.

Quando se trata de construir uma Família Empresária admirada, desejada e efetiva, o tempo é o bem mais precioso que temos. Na era digital, ter tempo para si mesmo, para a família, e gasta-lo para pensar em vez de reagir é fator essencial para o sucesso.

Famílias inteligentes devem se certificar que estão se preparando da melhor maneira possível para o futuro, tanto pessoal ou familiar como nos negócios, mas nunca devem se esquecer de dedicar tempo para se concentrar naquilo que realmente importa – o hoje, o agora.

Thiago Salgado

Fundador da Famíliia S.A.