Como as histórias em quadrinhos e a Marvel podem inspirar as Empresas Familiares?

Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Recentemente, estive no FIRE FESTIVAL 2018 organizado pela Hotmart em Belo Horizonte e tive o prazer de assistir a brilhante palestra da Amanda Felicio da Disney Brasil e Marvel, empresas das quais sou ainda mais fã.

E o que tudo isso tem a ver com as empresas familiares?

Alguém tem dúvida de que nós, empreendedores e empresários, somos heróis? Lutamos todos os dias, usando todos os poderes que possuímos para vencer os obstáculos neste ambiente que muda, nos desafia e não nos oferece qualquer segurança, especialmente no Brasil.

Heróis também são humanos, possuem dúvidas, fraquezas, neuras e seus dilemas. Nas empresas familiares não é diferente! Somos seres com emoções, com histórias reais. Cada família tem a sua e precisa encarar do seu jeito. Somente quem vive este mundo entende o que estou falando, pois, aqui, o que está em jogo é muito mais do que um negócio.

20180927_120941 

Famílias inteligentes são formadas por heróis humildes, que aprendem com o seu passado e estão abertos para encarar e se adaptar ao futuro. Famílias Empresárias estão atentas a tudo que está acontecendo e também aprendem com a história de outras empresas que já passaram pelos mesmos desafios que enfrentam ou enfrentarão.

 Uma grande lição que a Marvel pode nos ensinar

A Marvel, que se transformou numa gigante, mantém a sua essência que vem dos quadrinhos, mas teve a coragem de olhar em volta e a humildade de entender que precisava interagir de forma diferente neste novo mercado para recontar a sua história. (Não basta fazer mais e melhor as coisas do mesmo jeito que sempre fizemos!)

20180927_122541

 Hoje, a Marvel continua com seus quadrinhos, é fiel ao seu DNA, mas também está na NETFLIX, nos cinemas, nos games, brinquedos, licenciamento de marca, lojas e muito mais. E as nossas empresas familiares? Estamos abertos para novas formas de entregar valor para nossos consumidores e clientes?

Convivo diariamente com empresas familiares e percebo que muitas ainda são resistentes a pelo menos dialogar sobre a possibilidade de tentar coisas novas. “No meu tempo que era bom, as coisas funcionavam”, “Não tenho tempo de sair para eventos pois alguém tem que trabalhar” (como buscar novidades e capacitação não fizesse parte do trabalho) ou “ Sempre fizemos deste jeito”, são algumas das frases que ouço com certa frequência. Se no ambiente da sua empresa familiar este tipo de conversa aparece, pode acender a luz vermelha e começar a repensar nas coisas.

 5 dicas de Super-Herói para sua Empresa Familiar 

  1. Reserve um tempo na sua agenda para entender qual é o real problema do seu consumidor. O que ele valoriza? Como ELE quer que seja a interação entre vocês? Pergunte, pesquise, analise, observe, ESCUTE.  O consumidor de hoje não se comporta da mesma forma que costumava fazer há 5 anos ou até menos.  Uma dica legal é procurar saber quais são as palavras chaves mais buscadas na internet sobre seu negócio, sobre seu mercado. Existem ferramentas gratuitas para isso (Google trends).

 

  1. Reúna pessoas chaves da sua empresa, convide pessoas de fora e repensem constantemente seu modelo de negócio. Uma tarde por mês revendo seu Canvas, pode trazer resultados inimagináveis.

 

  1. Questione sua equipe e encoraje-os a pensar se há alguma forma mais efetiva e coerente para entregar valor para seus clientes (do ponto de vista do cliente)

 

  1. Tenha coragem de testar coisas novas. Novos canais, novo formato de comunicação, novos segmentos, novos tipos de clientes, novas regiões, novas parcerias. Comece pequeno, acompanhe de perto, aprenda com os erros e corrija rapidamente. Pior do que falhar é não tentar.

 

  1. Seja coerente com seu DNA e não aceite caminhos que ferem seu propósito. Oportunidades e tentações vão aparecer a todo momento e precisamos ter a força e sabedoria para muitas vezes falar NÃO.

 

Que a gente tenha orgulho de ser herói e a consciência de que somos humanos. Não sejamos duros demais com nós mesmos, mas também nada de ficar acomodado na zona de conforto, pois ela não existe mais neste mundo VUCA (Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo).

homem-aranha

Lembrem-se que Peter Parker não virou herói quando foi picado por uma aranha radioativa e ganhou superpoderes. Ele virou herói quando decidiu usar seus poderes para fazer o bem.

Espero que este post inspire, nem que seja uma pessoa e que esta gere impacto positivo ao seu redor.

Thiago Salgado

Fundador da Famíliia S.A.