Será que estamos preparando as novas gerações para o que vem pela frente?

Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
10 atitudes que farão a diferença como pai e como líder nas corporações.

Um depoimento sincero que fiz de coração aberto à Happycode, através do qual compartilho minha experiência, expresso meus sentimentos e reflexões que venho fazendo como pai e como líder no mundo corporativo.

 

 

Um assunto que permeia os pensamentos de muitos pais, que assim como eu, desejam fazer o melhor para seus filhos, preparando-os para enfrentar os desafios da vida e também um tema fundamental para os gestores, líderes que desejam se conectar com as gerações mais novas, oxigenar as ideias da corporação, construir um ambiente de colaboração e inovação, trazer novos talentos para sua equipe e levar suas empresas para outros patamares.

As empresas que não entenderem a importância da parceria entre as gerações, principalmente as Empresas Familiares, dificilmente vencerão os obstáculos do novo mercado e terão poucas chances de continuidade e resultados sustentáveis. É a nova geração, seja familiar ou não, que vai levar a empresa no futuro e para tanto precisamos gastar energia certa para prepará-los.

Compartilho com vocês algumas atitudes e pensamentos que tenho experimentado e que me fizeram evoluir. Espero que provoquem e ajudem!

  1. Tente ver as coisas com as lentes da nova geração. Tenha abertura para tentar entender o que eles estão vendo. É fundamental numa equipe e também na família que tenhamos pessoas que olham a mesma questão por ângulos diferentes. Qual é a lógica que está por traz da mente destes jovens? Diversidade com objetivo comum faz toda diferença;
  2. Quebre crenças, ideias prontas que carregamos e que formamos num passado. Pare de olhar no retrovisor e olhe para frente. Mude seu mindset. O novo jogo exige de nós todos: flexibilidade, adaptabilidade, velocidade e leveza;
  3. Permita-se repensar, ressignificar as coisas, a questionar, a mudar de opinião. Por que não? Quando a gente consegue, é muito libertador!
  4. Estamos fornecendo as ferramentas adequadas para as novas gerações seguirem em frente? Que tipo de experiências, exposição, vivências, precisamos proporcionar para que nossos filhos e nossa equipe possam se desenvolver? Estamos pensando nisso ou estamos no modo avião?
  5. Tenha humildade para entender que não sabemos tudo e que podemos aprender muito com os “meninos”. Está tudo certo! Você não perde autoridade por admitir que não sabe certas coisas, pelo contrário, ganha respeito, confiança e admiração;
  6. Jogue-se em novos “mares”, tenha curiosidade para olhar para fora. Aprenda a reaprender. Tenha atitude inovadora ao invés de ficar preso à velhas ideias. Raul Seixas já dizia há muito tempo: “ Prefiro ser aquela metamorfose ambulante… do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”. Toca Raul! (Mais atual que nunca!);
  7. Delete preconceitos e julgamentos. Esta dupla cria barreiras e nos sabotam como um navio que quer seguir em frente e está preso à uma ancora;
  8. Não tenha medo de voltar a ser novato, principiante. Vença o desconforto de estar num ambiente novo onde você não sabe muito bem como fazer as coisas. Ao invés de relutar, fique amigo da mudança. Peça ajuda e siga em frente!
  9. É perfeitamente possível falar de coisa séria e ao mesmo tempo se divertir;
  10. Fale menos e faça mais. Walk the talk. Entenda o erro como um grande aprendizado para inovar. Olhe nos olhos e fale o que sente.

Tudo isso trouxe uma nova visão para mim como pai e executivo, e também acaba trazendo uma nova percepção para nossos filhos, sucessores e jovens que desejam crescer fazendo parte de algo que faça sentido.

Espero que tenha ajudado e deixo aqui para todos nós 3 questões finais para reflexão:

  1. Será que estamos preparando esta molecada (sempre no bom sentido!) para o que já está acontecendo e para o que virá?
  2. Será que é possível preparar as novas gerações da mesma forma que nós fomos preparados, educados?
  3. Como preparamos estes jovens, na família ou na empresa, para um mundo que a gente não viveu?

Se gostou, compartilhe com a sua rede. Se tiver comentários, por favor não deixe de fazer. Participe conosco e vamos construir um ecossistema cada vez mais forte com assuntos e conexões que geram valor ao nosso redor.

Agradecimento especial a Happycode, ao Rodrigo Santos, ao Alexandre Luercio e todos da escola. Fiquei muito feliz em poder participar e compartilhar a nossa história. Admiro demais vocês como pessoas e como profissionais.

Thiago Salgado

Fundador da Famíliia S.A.